Não é alta do dólar, é baixa do real.

O modo como falamos sobre um assunto reflete e influencia a maneira como pensamos nele. Por exemplo, se você diz “o dólar está a cinco reais”, está se induzindo a pensar que a cotação entre estas duas moedas depende exclusivamente do dólar e da política monetária dos E.U.A. Agora, se você diz “o real está a 20 centavos de dólar”, você inverte a situação o que, na maioria das vezes, é o mais correto: a rápida desvalorização do real frente ao dólar é resultado da inflação e instabilidade brasileira, mais do que qualquer maquinação estrangeira.

Esta incompreensão do fenômeno inflacionário nos leva a diagnosticar mal os problemas que assolam a economia do país. Falamos, por exemplo, em “aumento de preços” e tendemos a associar o fenômeno com alguma prática deliberada dos comerciantes de aumentar sua porcentagem de lucro, o que não poderia estar mais longe da verdade. Na verdade, o aumento de preços é apenas uma consequência indireta da perda de valor da moeda. Ou seja, perdemos de vista a causa real do problema: nossa política monetária. Ou seja, não houve “alta do dólar” e sim “baixa do real”.


Gostou do conteúdo? Deixe uma gorjeta:
Donate with PayPal

Leave a Comment