Como é viver na Colômbia? Dinheiro e Mercado

Se você vem para morar, vai precisar ir ao mercado. Então é importante que você saiba como é o dinheiro colombiano e onde comprar. Vamos ao básico: a moeda colombiana é o peso colombiano, identificado nos mercados de câmbio com a sigla COP. Diferente de outras moedas que são divididas em unidades e centavos, o peso colombiano é agrupado em dezenas, centenas e milhares. Há propostas legislativas para eliminar os três zeros e alinhar o peso colombiano às praticas de outros países, mas ainda não foi anunciada uma data para esta mudança.

Levando isso em consideração, se o peso colombiano fosse pareado com o real, um real equivaleria a mil pesos (R$1 = $1000), um real e cinquenta centavos equivaleria a mil e quinhentos pesos (R$1,50 = $1500), e assim por diante. Ítens de consumo diário portanto custam na faixa de centenas ou milhares de pesos: um ovo ou um pão $300, uma garrafinha de refrigerante de 600 ml $2.500, 400 gr de presunto fatiado embalado $7.500, etc. Na prática as moedas não são pareadas, é claro, pois o peso colombiano tem estado consistentemente valorizado frente ao real nos últimos 5 anos, entre 10% e 20%. No momento em que escrevo este artigo, o peso colombiano está valorizado em 35% frente ao real brasileiro, ou seja, $1000 compram R$1,35.

As denominações são as seguintes:

Moedas: $50, $100, $200, $500 e $1.000.
Notas: $1.000, $2.000, $5.000, $10.000, $20.000, $50.000 e $100.000.

Recentemente foi introduzida uma nova família de notas. Se já decidiu vir para cá, você pode se familiarizar com as notas e moedas atuais e novas acessando o site do Banco da República, mais especificamente na seção Billetes y Monedas (acesse aqui).

Salário mínimo
O salário mínimo mensal colombiano é de atualmente $737.717, aproximadamente R$995. É um salário muito baixo, mesmo levando em consideração o custo de vida daqui. É impossível pagar um aluguel ganhando um salário mínimo. Isso para os colombianos que tem a “sorte” de ganhar um salário mínimo: 10% da população é desempregada e outros 50% vivem na informalidade. Ou seja, empregados e aposentados mesmo são menos da metade. Por isso, na condição de estrangeiro, você deve buscar trabalho onde a sua proficiência em idiomas estrangeiros seja um diferencial e evitar competir com colombianos pelo mesmo emprego. O ideal é buscar um emprego onde você ganhe no mínimo dois ou três salários mínimos. Nesta faixa salarial você consegue viver uma vida confortável por aqui e ainda poupar.

Mercado
Agora que você já conhece as moedas e como verificar o seu troco, onde comprar? Depende do que você quer comprar e dos seus hábitos de consumo.

Compras esporádicas são feitas em mercadinhos locais que são bem variados. Existem pequenos estabelecimentos familiares relativamente especializados, por exemplo lojas de artigos escolares e de escritório, açougues, horti-frutis, artigos de limpeza, artigos para festas infantis, padarias, confeitarias, etc., além dos comerciantes varejistas que vendem de tudo um pouco. Assim como no Brasil, tendem a ser mais caros do que comprar nos grandes mercados.

Compras regulares para abastecer a casa devem ser feitas em redes maiores onde você consegue melhores preços e mais variedade. Vou elencar três “níveis” de acordo com o quanto você gasta:

Economia – Se você quer comprar somente o básico como grãos, cereais, pães, enlatados e produtos para o café da manhã como margarina, manteiga, geléia, frios, etc., as opções são as redes D1, Justo & Bueno e Ara. As opções em padaria, açougue e horti-fruti tendem a ser bastante limitadas, mas são muito econômicos. O mais barato de todos, D1,  só aceita dinheiro vivo.

Variedade – Se você quer comprar além do básico, carnes, vegetais e produtos de padaria mais elaborados, sua melhor pedida é ir em mercados como Alkosto, Éxito, Jumbo e Olímpica. Neles você também encontra roupas e eletrônicos. Normalmente aceitam cartões de débito e crédito e contam com programas de fidelidade baseados em pontos.

Luxo – Se você quer cozinhar algo diferente ou está buscando algo com selo de qualidade, carnes e verduras de primeira, produtos importados, etc., sua opção na Colômbia é o mercado Carulla. Aceita cartões de débito e crédito.

Outros artigos
Bom, já cobrimos o básico sobre onde comprar comida e artigos de limpeza. Agora, e se quisermos roupas, eletrônicos, eletrodomésticos, decoração? Para roupas, há duas marcas nacionais muito boas para roupa formal: Arturo Calle (masculina) e Patprimo (masculina e feminina).  Ambas fazem ajustes na roupa e vestem bem sem ser excessivamente caras. Considero o preço deles bem justo. Além das lojas autorizadas de marcas específicas, suas opções são as seguintes:

Éxito – Vende roupas, eletrônicos e eletrodomésticos. A roupa não é a de melhor qualidade, e não é possível fazer ajustes. Afinal, estamos falando de um grande varejista. Tem uma grande variedade de eletrônicos e eletrodomésticos.

Falabella – Há mais variedade e qualidade nas roupas, quase nível Riachuelo, C&A, Marisa e afins. Por não ser uma loja especializada em roupas, tampouco fazem ajustes. Também vendem eletrônicos e eletrodomésticos.

Ktronix – O foco é eletrônicos e eletrodomésticos, não vende roupas. Das lojas listadas é a que tem mais variedade em eletrônicos, principalmente telefones, televisores e computadores.

Home Center – É uma loja que começou focada em materiais de construção e reforma, mas que hoje em dia também oferece muitos eletrodomésticos e artigos de decoração. Não vende eletrônicos nem roupas.

Munido de um bom emprego e aproveitando o baixo custo de vida daqui, a Colômbia pode ser uma boa opção se você quer emigrar “nível easy” sem se preocupar muito com burocracia consular ou a dificuldade hercúlea de conseguir emprego em países onde a qualificação média dos concorrentes é altíssima. De quebra ainda pode poupar um dinheiro, mandar para casa ou simplesmente adquirir coisas que no Brasil são absurdamente mais caras.


Gostou do conteúdo? Deixe uma gorjeta:
Donate with PayPal

Leave a Comment