Como é viver na Colômbia? Bogotá vs. Medellín

Como contei nos artigos anteriores, já morei em Medellín por quase um ano, e há uns 3 moro em Bogotá. Ambas são metrópoles de milhões de habitantes, mas são radicalmente diferentes e apresentam uma certa rivalidade saudável. Há uma competição para ver qual cidade é melhor. Medellín é a “cidade primavera”, Bogotá é a grande metrópole. Ambas as cidades são inovadoras em muitos aspectos interessantes e ambas tem muitas coisas boas para aproveitar, e vou tentar comentar brevemente.

Bogotá
Bogotá é a capital nacional da Colômbia e abriga o dobro de habitantes que Medellín, ou seja, 8 milhões de pessoas. É gente demais, e você logo se dá conta disso, pois os tumultos e engarrafamentos chegam a ser sufocantes. Os sistemas de transporte público estão sempre lotados, as vias quase sempre engarrafadas, etc. O tumulto, o engarrafamento, o barulho e a poluição serão constantes, como viver em uma grande capital do Brasil como São Paulo ou Rio de Janeiro. O clima da cidade não colabora: é frio, chuvoso e nublado boa parte do tempo. É a Londres sul-americana. Bogotá é enorme. Tem 1775 km2, quatro vezes maior do que a minha valerosa cidade natal e pouco maior do que São Paulo, que é a maior cidade do Brasil. Já dá para imaginar como é o transporte público por aqui? É complicado. Ônibus de linha padronizado, com paradas fixas, é coisa nova por aqui devido a uma mistura de desleixo da administração pública e precariedade das empresas de transporte coletivo. O principal meio de transporte dos colombianos hoje em dia é o Transmilenio, um moderno sistema de BRT que conecta quase toda a cidade. O sistema é complementado por ônibus alimentadores e ônibus de linha (SITP). Paralelo a este moderno sistema convive um mais arcaico, de microônibus operados por pequenas empresas privadas e cooperativas de transporte. A impressão que você terá é que tudo na cidade fica longe, e somando os engarrafamentos isso significa que boa parte do seu dia (de 1 a 3 horas) você vai passar dentro de um veículo.

Mas nem tudo são espinhos: Bogotá, por ser capital, é o centro das oportunidades do país e onde você tem mais probabilidade de conseguir um bom emprego. Além disso, a cidade tem muitos atrativos para todos os gostos: vida noturna agitada, grande oferta gastronômica, shows, exposições de arte, bibliotecas públicas, museus, parques, etc. Alguns dos pontos interessantes de visitar são o Cerro de Monserrate, o Museo del Oro, o parque de diversões Salitre Mágico e a Zona T. Bogotá não tem carnaval nem feira de flores, mas tem Rock al Parque Jazz al Parque. Para o pessoal mais cult, tem uma excelente feira internacional do livro (FILBO) e o festival iberoamericano de teatro. No mês de agosto, que é particularmente ventoso por estas bandas, as famílias bogotanas vão ao Parque Simón Bolívar soltar pipas (pandorgas, raias). Assim como Medellín, Bogotá fica próxima de outras cidades menores interessantes de visitar, como ZipaquiráSumapaz e Guatavita.

Medellín
Medellín é a capital do departamento de Antioquia, a capital dos paisas. Tem mais ou menos uns 4 milhões de habitantes. O clima da cidade é maravilhoso, com uma temperatura média que oscila entre 17 e 28 graus centígrados o ano todo. Raramente você vai passar frio demais ou calor demais por lá, e os dias são quase sempre ensolarados. Merecidamente, a cidade foi apelidada de “cidade primavera”. Há muitas áreas verdes e de lazer acessíveis sem necessidade de gastar dinheiro, ou com custo muito baixo. O que mais admiro nessa cidade é o quão eficiente ela é na administração pública, especialmente o transporte.

A cidade é muito bem servida de transporte público, com um metrô que conecta você a qualquer lugar da cidade em 30 minutos ou menos. Depois que saí de lá também implementaram um sistema de bonde elétrico ou tranvía que também cobre uma grande área da cidade. Medellín tem as comodidades de uma cidade grande, mas sem tanto estresse. O trânsito, apesar de mais fluido que o de Bogotá, é igualmente caótico e os motoristas são tão ou mais barbeiros que os bogotanos. Portanto, muito cuidado ao atravessar as ruas. Além desse fator, por não ser uma cidade tão grande, as oportunidades de trabalho são menos numerosas, principalmente para estrangeiros. Mas, procurando bem, todo mundo encontra o seu espaço por lá.

Alguns pontos que valem a pena conhecer são o Parque Pies Descalzos, Parque Explora, Parque Arví, e a plaza de Botero junto ao Museo Botero. Eventos interessantes de presenciar são a Feria de las Flores e o Alumbrado Navideño. Medellín também fica próxima de outras cidadezinhas excelentes para visitar, como Santa Fe de Antioquia e Guatapé. Além dos pontos turísticos, a cidade conta com várias instalações esportivas abertas ao público.

No próximo artigo, vou explicar como funciona a questão da habitação e do transporte em ambas as cidades.


Gostou do conteúdo? Deixe uma gorjeta:
Donate with PayPal

Leave a Comment